visual_merchandising_no_pdv.jpg

O segmento do varejo está em constante renovação para atrair o shopper e aumentar as vendas. E isso não é à toa. Depois de muitos anos de ascensão, essa é a primeira vez que o setor não registrou índices positivos de crescimento – reflexo direto da crise econômica que assola o país.

A boa notícia é que são nos momentos de dificuldade que surgem as grandes oportunidades. E como é preciso se reinventar sempre para manter a competitividade, as lojas estão contando com um novo perfil profissional: visual merchandiser (mais conhecido como VM).

Você sabe o que ele faz?

Dentro do ponto de venda, esse profissional é responsável por cuidar de toda comunicação da marca. Ele cria estratégias para posicionar corretamente os materiais de PDV, define a decoração do ambiente, as combinações mais adequadas para cada manequim, além das cores e texturas que fazem mais sentido para cada estação e até mesmo faz a escolha da música e do perfume de cada estabelecimento.  

materiais sustentaveis no pdv

O visual merchandiser é a peça-chave para organizar o ponto de venda e manter o padrão de todos os elementos de forma a atrair o cliente e oferecer uma experiência positiva com a marca.

Antes de mais nada é preciso explicar que as funções do VM e do vitrinista não são a mesma coisa. A grande diferença entre os dois é que o primeiro tem o papel fundamental de também cuidar de toda a organização e comunicação visual do interior da loja, enquanto o vitrinista, como o próprio nome já diz, foca-se apenas na vitrine. Além disso, o VM circula por todas as lojas da rede e garante que elas estejam alinhadas e comunicando da mesma forma

Antes da formalização dessa profissão, na maioria das vezes, eram os vendedores que faziam esse trabalho – quase sempre, sem a técnica e preparo adequado para obter o resultado final. Em alguns casos, os lojistas contratavam também o trabalho de um arquiteto.

Por dentro do mercado

Embora essa área de atuação esteja recebendo mais holofotes agora, o mercado já conta com esses profissionais há uns quatro, cinco anos. O Senac São Paulo e o Centro Universitário Belas Artes, por exemplo, incluíram cursos de Visual Merchandising no Varejo em sua grade, com o objetivo de formar novos profissionais na área.

No Brasil, marcas de roupa direcionados para o público A já realizam esse trabalho e a tendência é que cada vez mais lojas adotem o trabalho do VM, independente de porte e perfil.

Quem sabe não é o caso de contar com o trabalho desse profissional para inovar as ações de merchandising no ponto de venda? Pense nisso.

merchandising_pdv_horizontal